Subcategorias

Baguá
O bá gua é um instrumento usado para colocar o Feng Shui em prática. Ele é uma "bússula" octogonal. Cada lado representa uma subdivisão dos quatro pontos cardeais, que são identificados por uma aspiração da vida,trabalho,amigos,criatividade,relacionamentos,sucesso, prosperidade,família,espiritualidade. Deve ser colocado na porta de entrada como símbolo de proteção.
Budas
Buda significa Desperto, Iluminado, não é o nome de uma pessoa, mas um título: significa "aquele que sabe a verdade" ou "aquele que despertou", aplicado a alguém que atingiu um nível superior de entendimento. Dessa forma, houve vários budas na história do budismo. De todos, o primeiro, Sidarta Gautama, é considerado o mais brilhante e também o fundador do budismo, no século 6 a.C., isto é, há mais de 2.600 anos.
Dragão
Dragões ou dragos são criaturas presentes na mitologia dos mais diversos povos e civilizações. São representados como animais de grandes dimensões, normalmente de aspecto reptiliano (semelhantes a imensos lagartos ou serpentes), muitas vezes com asas, plumas, poderes mágicos ou hálito de fogo. A palavra dragão é originária do termo grego drakôn, usado para definir grandes serpentes. O Dragão Chinês é o símbolo da proteção e boa fortuna. É visto como o Ser Supremo entre as criaturas, e representa as forças da Mãe Natureza. Um animal místico com o poder de desviar os espíritos malignos , e proteger os inocentes.
Egípcios
Os egípcios possuíam deuses de variadas maneiras, com mistura de corpo de homem com mulher, de animais com pessoas e até mesmo com a natureza. Os egípcios acreditavam que os deuses podiam viver como homens, nascer e morrer, ou seja, terem uma vida comum. Seus poderes, muitas vezes eram ligados com elementos da natureza. Por seus deuses terem formas de animais, os egípcios sacrificavam seus animais para mumificá-los, ou seja, com esse ritual era possível à pessoa fazer uma oferenda ao seu deus de seu animal preferido. Havia também um ritual que se chamava, culto dos touros em que um deus era incorporado em um animal, e esse animal incorporado, quando morresse tinha o direito de receber um melhor enterro. Existiam variados deuses, cada um com seu nome e seu poder específico.
Fadas
As Fadas são representantes do elemento Ar, embora esteja muito ligada com o elemento Terra, pois cabe a elas a tarefa de cuidar das flores, dos frutos, das ervas e pequenos arbustos. São consideradas os anjos da guarda da natureza e suas principais virtudes são: Alegria, jovialidade, delicadeza e beleza. Como todos os elementais do Ar, também estimulam a mente, afastando a negatividade dos pensamentos e trazendo novas idéias e mais sabedoria.
Filtro dos sonhos
A Lenda Xamânica: Duas tribos estavam em guerra. As desarmonias energéticas não deixavam as crianças dormir. A Mãe-Búfala (Espírito-guardião) pediu ao Xamã da tribo que fizesse um círculo de um galho de árvore e deixasse uma aranha fiar uma teia dentro dele. Nesse círculo foram colocadas algumas pedras e penas. O círculo foi pendurado onde as crianças dormiam; filtrou as energias desarmônicas e as crianças se acalmaram. As tribos fizeram as pazes. Desde então o Filtro dos Sonhos é usado como um filtro capturador de energias desarmônicas. Ele filtra as desarmonias prendendo-as nos nós de sua teia e deixando passar as energias harmônicas.
Flor de Lótus
A flor de lótus é venerada em várias tradições religiosas e filosóficas, sendo considerada como símbolo da pureza e do despertar espiritual. O lótus nasce no lodo, onde se desenvolve, e floresce quando atinge a superfície da água, mantendo-se intocado pela sujeira. Assim também, o ser humano tem a capacidade de crescer, desenvolver-se e manifestar toda sua força interior apesar do ambiente onde nasce e vive, que muitas vezes lhe é desfavorável. Na tradição egípcia o lótus é representado como a planta sagrada pertencente ao mundo dos deuses. Um dos mais interessantes relatos da mitologia egípcia sobre a origem do mundo diz que na aurora do tempo, uma flor de lótus, com as pétalas fechadas, flutuava nas trevas. Entediada com o vazio, a flor pediu ao deus Sol Ra que criasse o universo. Agradecida pelo desejo realizado, a flor passou a abrigar o deus Sol em suas pétalas durante a noite, de onde ele saía ao amanhecer para iluminar a sua criação. Na Índia o lótus está relacionado à criação do mundo. De acordo com as escrituras hindus, foi do umbigo do deus Vishnu que teria nascido uma brilhante flor de lótus, e dela surgido outra divindade, Brahma, o criador do mundo. Nas gravuras hindus, deuses costumam aparecer em pé ou sentados sobre a flor. A tradição budista nos relata que quando Buda tocou o solo e deu seus primeiros sete passos, sete flores de lótus cresceram. Representando assim, que cada passo do buscador da Verdade é um ato de expansão espiritual. Tanto que o conhecimento espiritual supremo é comparado ao florescimento do lótus de mil pétalas existente no chakra coronário, no alto da cabeça. O lótus é o símbolo da expansão espiritual, do sagrado, do puro. Na tradição mística os centros de consciência existentes no corpo humano (chakras) estão representados por flores de lótus. Tanto que o conhecimento espiritual supremo é comparado ao florescimento do lótus de mil pétalas existente no chakra coronário, no alto da cabeça. A semente de lótus pode ficar mais 5.000 anos sem água, à espera da condição ideal de umidade para poder germinar. Assim também, a semente do Divino está a espera de ser cultivada por nós para que se desenvolva e manifeste toda a espiritualidade existente em nosso interior.
Gnomos
Os gnomos são espíritos de pequena estatura amplamente conhecidos e descritos entre os seres elementais da terra. A origem das lendas dos gnomos terá muito provavelmente sido no oriente e influenciado de forma decisiva a cultura antiga da Escandinávia. Com a evolução dos contos, o gnomo tornou-se na imaginação popular um anão, senão um ser muito pequeno com poucos centímetros de altura. É comum serem representados como seres mágicos não só protetores da natureza e dos seus segredos como dos jardins.
Jardim Zen
A arte Zen é uma tradição milenar oriental que pode ser aplicada desde a formação de um guerreiro até a prática de arranjos florais. Esta técnica tem como objetivo trazer harmonia, equilíbrio e relaxamento mental. Confeccionada com elementos naturais, proporciona uma forma singular de meditação simplesmente com o manuseio do rastelo sobre a areia, criando desenhos e figuras a vontade no seu pequeno jardim.
Kuan Yin
Kuan Yin é o Bodhisattwa Celestial da Compaixão, é a mestra da hierarquia divina que trabalha na freqüência da Compaixão e Amor Incondicional. Bodhisattwa é um ser humano que atingiu o estado de perfeição e ascensão, tendo se libertado da roda da reencarnação e do ciclo de samsara (ciclo de reencarnações sucessivas visando o aprendizado e ascensão do ser, relacionados a leia do karma- ação e reação). Pode-se descrever Kuan Yin como a personificação da aspecto Yin da Criação; a Mãe Divina que ama incondicionalmente seus filhos, apesar de toda e qualquer falha, sem julgamentos e discriminações. Atualmente ela é a senhora do karma, aquela que pode interceder favoravelmente no momento da morte e transição de qualquer ser senciente, diante do conselho karmico.
Mandalas
Mandala é a palavra sânscrita que significa círculo, uma representação geométrica da dinâmica relação entre o homem e o cosmo. De fato, toda mandala é a exposição plástica e visual do retorno à unidade pela delimitação de um espaço sagrado e atualização de um tempo divino.
Sinos dos ventos
Segundo o Feng Shui, os Sinos dos Ventos têm a função de energizar e equilibrar a energia do ambiente com o seu som melodioso.
Xamã
Sacerdote, médico, curandeiro, conselheiro, advinho, um líder espiritual com funções e poderes de natureza ritualística, mágica e religiosa que tem a capacidade de, por meio de êxtase, manter contato com o universo sobrenatural e com as forças da natureza.